ENDEREÇO

R. XV de Novembro, 1155, sl. 1101

Centro . Curitiba . Paraná 

 

m4mais@m4mais.com.br

  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
1/5

PARQUE DA GROTA DE MIRASSOL

PROPOSTA PARA PARQUE DA GROTA DE MIRASSOL . 2014 . MIRASSOL/SP

 

Projeto Urbanístico:

203.400,00 m²

 

 

Cliente:

Fundação Alphaville

Arquitetos Responsáveis:

Augusto Pimentel Pereira

Ingrid Okraska Zimermann 

Marcio Dambroski Buzzo

 

Arquiteto Consultor:

Reginaldo Reinert

 

 

Colaboradores:

Renan Pergher

Desiree Dias

 

O PARQUE DA GROTA

O Parque da Grota do Mirassol surge a partir da criação de um circuito de atrações,  ao longo das quais sua história e sua forte relação com a cidade de Mirassol é contada.

O percurso é iniciado na Praça da Memória, ponto de encontro do Parque Natural com a cidade, onde estão localizados o estacionamento, praça seca e uma arquibancada para apresentações cívicas. As linhas geométricas que compõe o desenho do piso formam uma linha do tempo com informações a respeito da história do Parque.

Um pórtico – formado por arcos que remetem a costela do dinossauro cujo fóssil foi encontrado no local – marcam o acesso ao segundo ponto do circuito, a Ponte Van Gogh, que reune brinquedos, áreas de contemplação e totens para exposições de arte temporárias.

Percorrendo pela ponte, o usuário chega ao último ponto do circuito – A Praça dos Girassóis – e à medida que se aproxima pode ouvir os sons da água escorrendo e das crianças brincando nos Playground. Estas sensações buscam remeter o visitante a outra década já vivida no mesmo local, quando a piscina abastecida pelo rio era um dos principais pontos de lazer da cidade.

 

Como plano de fundo ao ipê uma lâmina de água escorre ao longo de uma parede de pedra, mesmo material escolhido por João Fernandes de Deus, o primeiro a explorar o potencial turístico da Grota, para contornar o lago natural que ali existia, transformando-o em um represamento.

"No local havia uma vegetação exuberante, com árvores frondosas como Perobas, jatobás, Ipês, entre outras, incluindo um palmital. Havia também nascentes de onde minava água de ótima qualidade, formando um pequeno lago de águas cristalinas"

(Depoimento dos moradores de Mirassol – P. 88, Plano de Manejo).

A praça é uma homenagem à flor que deu origem ao nome da cidade, e como tal flor, organiza as demais atividades e trilhas presentes no parque em torno de um ponto central marcado pelo ipê roxo, que recepciona os visitantes.

“A respeito da origem do topônimo Mirassol, a versão mais aceita é a seguinte: Passava certa feita o fundador a cavalo pelo Largo da Capelinha, onde se cultivavam roças de arroz, quando um dos enxadeiros chamou-lhe a atenção para a existência, no local, de uma touceira de plantas esguias, de cerca de dois metros de altura, e no topo das quais desabrochavam grandes flores redondas, de cor amarelo-ouro. O passante, ao divisar as flores, exclamou: ‘- É girassol… O roceiro retrucou: - Não é não, seu capitão. O nome dessa flor é Mirassol…’"

(Site da Prefeitura Municipal de Mirassol, 2014).