BIM

BUILDING INFORMATION MODELING

O sistema BIM é considerado por muitos como a nova geração das ferramentas CAD na concepção de projetos. Seu diferencial é mais do que tecnológico e se encontra no processo projetual. Está na reunião de múltiplas funções dentro de um único software e na facilitação do cruzamento e análise de dados. A partir do modelo tridimensional concebido dentro de uma ferramenta BIM, é possível extrair as mais minuciosas informações a respeito de um projeto, desde quantitativos de obra civil até especificações técnicas detalhadas de equipamentos integrados à edificação.

 

Estas qualidades fazem do BIM um sistema facilitador não só na concepção de projetos como também na execução. A concepção e a compatibilização tridimensional de projetos facilitam a visualização da obra como um todo e auxiliam na previsão de interferências e problemas que possam vir a surgir na fase de execução. Dessa forma é possível otimizar custos e tempo, racionalizando a construção.

 

Porém, para que todas as qualidades deste sistema possam ser aproveitadas ao máximo é preciso investir muito tempo na fase de projeto, compatibilização e planejamento da obra. Investir nestas etapas preliminares é crucial para que seja possível atingir a otimização desejada, evitando desperdício de tempo e material na obra, por exemplo.

 

A multidisciplinaridade é inerente ao processo de concepção de projetos em BIM. Um modelo será tanto mais fiel à realidade quanto maior for o número de profissionais das diversas disciplinas envolvidos e o alimentando com informações. É um processo rigoroso e complexo, tal qual são as obras civis. Problemas complexos exigem soluções complexas, e por isso é preciso que haja uma metodologia clara e eficaz associada à gestão dos projetos, de forma que a alimentação do modelo com informações seja dinâmica, precisa e correta. Uma gestão ineficaz de projetos pode minar grande parte dos ganhos significativos que o sistema BIM pode propiciar.

 

Toda esta complexidade rendeu ao sistema BIM a fama de sistema “de projetos executivos”, sendo considerado ineficaz na elaboração de estudos ou projetos básicos. Este mito cai com três fortes argumentos:

 

  • Por serem ferramentas muito completas, são capazes de fazer desde as tarefas mais simples até as mais complexas, de desenhos bidimensionais à modelagem de formas orgânicas complexas. Basta que se tenha domínio suficiente sobre o programa para interpretá-lo e encontrar a forma mais adequada de efetuar a tarefa desejada. A metodologia de uso dessas ferramentas também ocupa papel importante, cabendo aos gestores do projeto determinar qual o nível de desenvolvimento e detalhamento necessário a cada etapa do projeto, evitando assim que o processo se estenda para além do esperado pela equipe e pelo cliente.

  • A metodologia aplicada a projetos mais complexos se assemelha a projetos mais simples, diferindo no número de variáveis e informações inseridas no modelo BIM, mas mantendo a mesma preocupação com a totalidade e construtibilidade da obra. O uso de ferramentas BIM garante que a qualidade de estudos e obras menores seja tão grande quanto daquelas de maior porte, o que se reflete na redução de custos posteriores – em especial no canteiro de obras.

  • O outro argumento é que, justamente por se tratar de uma ferramenta tão adequada a projetos executivos, é possível extrair inúmeras informações mesmo dos estudos mais simples. Ou seja, tanto é possível realizar esses estudos com mais facilidade como o nível de precisão e quantidade de informações obtidas, no mesmo espaço de tempo que outros sistemas, será muito maior.

 

No caso do projeto elaborado para a Linha Azul do Metrô de Curitiba, onde o tempo disponível para elaboração dos estudos e quantitativos era consideravelmente reduzido, o sistema BIM foi crucial para que fosse possível cumprir os prazos garantindo o total cumprimento de escopos e satisfação do cliente. Ao todo, os projetos e quantitativos entregues contabilizavam cerca de 21.000m² de edificações e 8.000m² de requalificação de espaços urbanos. Porém, ao longo de todo o processo, foram elaboradas cerca 10 estudos para os projetos das duas tipologias de estação, em um prazo total de 60 dias.

ENDEREÇO

R. XV de Novembro, 1155, sl. 1101

Centro . Curitiba . Paraná 

 

m4mais@m4mais.com.br

  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon